História da Moda

16:38Andreia Brisola

Olá amores

Hoje vamos falar um pouquinho da história da Moda.
Pensando Moda





                   


A moda vai além das tendências de cores e cortes. Ela evidencia gerações e marca a identidade de personalidades. Pode-se analisar a construção histórica do homem e da sociedade pelas suas vestimentas e pelo seu comportamento. No universo feminino, a moda era ditatorial, os vestidos longos e pesados eram desconfortáveis e nada práticos, usava-se várias saias, formando diversas camadas.



O homem bem-vestido era aquele que usava paletós e calças, mas o tecido era grosso e quente, ainda haviam os coletes, lenços e chapéus.

Com a Primeira Guerra Mundial (1914-1918), as mulheres passaram a integrar o mercado de trabalho, assim, as saias encurtaram e proporcionaram praticidade e leveza. As calças se popularizaram alguns anos depois, nos quadris da estilista Coco Chanel.

Fatos históricos participam de toda a trajetória da moda, como o biquíni (grande impacto para a moda praiana da época), nomeado assim, devido ao nome de uma ilha bombardeada na Segunda Guerra Mundial. Até os anos 20, as classes sociais podiam ser identificadas pelas roupas que as pessoas usavam. Mas uma aceitação bem-sucedida por parte das mulheres em aderir peças práticas ao armário, tornou a moda mais acessível e atraiu um grande número de adeptas.

Estilistas renomados e inovadores

Os estilistas não criam apenas modelos, eles criam ideologias, inventam e reinventam. Conseguir combinar os elementos que a sociedade precisa em determinado momento histórico, exige estudo e visão no segmento de moda.

Confira a relação de alguns estilistas que revolucionaram a moda. Inspire-se e tire as suas próprias conclusões:

– Gabrielle Chanel, a “Coco Chanel” (1883-1971): revolucionou a moda com a criação de roupas soltas e livre de amarrações, como o espartilho. Incorporou algumas peças masculinas ao armário feminino, a calça foi uma delas. A década de 20 foi exclusivamente de Coco e do seu icônico “pretinho básico”, que perdura até hoje.


– Christian Dior (1905-1957): e seu New Look (1947) renovaram os ares marcados pela Segunda Guerra Mundial. Saias plissadas, cintura delineada, feminilidade, sofisticação e luxo fizeram dele um estilista da alta costura.


– Valentino Garavani (1936): chamado de “vermelho Valentino” pela grande quantidade do tom vermelho em suas peças, detém o V (seu símbolo) mais reconhecido da moda. Seus modelos possuem cortes diferenciados que realçam a feminilidade.


– Mary Quant (1934): ousada e revolucionária, a criadora da minissaia causou um boom nos anos 60. Mary considerava a moda terrível, e sua loja Bazaar foi símbolo da vanguarda das décadas de 60 e 70.

créditos - Pixabay 

– Yves Saint Laurent (1936-2008): o “Le Smoking” feminino, de 1966, foi uma grande inovação para todas as mulheres. O famoso terninho é usado em todas as ocasiões, trabalho, festas e até nos eventos mais sofisticados.

A democratização da moda no decorrer dos anos, trouxe para o novo século um leque de opções. Desde o início dos anos 2000, as lojas diversificaram as suas araras: de um lado você encontra vestidos para festas, formaturas e eventos requintados e do outro lado calças jeans.

Há algumas peças que regem o estilo de cada pessoa e que são insubstituíveis no guarda-roupa, mas ninguém está preso a uma regra, a não ser a do próprio gosto. O cinema, a televisão e as novas mídias impulsionam e repercutem as tendências.

Se você quer saber mais sobre a história da Moda entre no site www.primecursos.com.br 

História da Moda é interessante e emblemática. Pensando nisso, a Prime Cursos elaborou vários cursos na área da moda para que você compreenda desde o surgimento até os dias atuais o desenvolvimento da indumentária.
Para estudar os cursos é gratuito, e você ainda tem a opção de solicitar o certificado de conclusão.

Créditos - Matéria do site Prime Cursos à distância

Super beijo

Andreia Brisola

You Might Also Like

0 comentários

Popular Posts

Blogs Amigos